terça-feira, 9 de maio de 2017

DÉCIMA SEGUNDA SEÇÃO – SALMO 119:91

Salmo 119:91 – “Conforme os teus juízos, assim tudo se mantém até hoje; porque ao teu dispor estão todas as coisas. Que magnífica declaração do salmista! O vocábulo “tudo”, refere-se à Palavra de Deus e à terra. No versículo 89, diz-se que “Para sempre [...] está firmada a tua palavra no céu”. Esta é uma forma de afirmar que a Palavra de Deus permanece para sempre! O versículo 90, por outro lado, afirma que a terra foi fundada por Deus, “e ela permanece”. Seja a Palavra de Deus, seja a terra, tudo se mantém até hoje conforme os juízos divinos! A soberania de Deus é maravilhosamente descrita neste versículo, “porque ao teu dispor estão todas as coisas”.
A. M. Cunha

DÉCIMA SEGUNDA SEÇÃO – SALMO 119:90

Salmo 119:90 – “A tua fidelidade estende-se de geração em geração; fundaste a terra, e ela permanece. Uma das gerações mais virtuosas na história da igreja foi, sem dúvida, a geração da igreja primitiva. Nós não teríamos esperança nenhuma caso Deus se mantivesse fiel apenas àquela geração. Mas graças a Deus, pois Sua fidelidade toca várias gerações! As declarações divinas contidas na Palavra de Deus são, por assim dizer, declarações que anunciam a Sua fidelidade, sendo, portanto, declarações eternas, imutáveis, que não podem ser desfeitas pela fúria do tempo ou pelo transcurso de gerações! O salmista vê a permanência da terra, que fora fundada e estabelecida por Deus, como um poderoso “outdoor” que continuamente anuncia a fidelidade de Deus! Sim, Deus é fiel de geração a geração!
A. M. Cunha

sexta-feira, 5 de maio de 2017

DÉCIMA SEGUNDA SEÇÃO – SALMO 119:89

Salmo 119:89 – “Para sempre, ó Senhor, está firmada a tua palavra no céu.” Quão grandioso é o poder da Palavra de Deus, pois Ela permanece firme, estável e imutável; não apenas hoje, mas para sempre! O apóstolo Pedro afirmou que “a palavra do Senhor, porém, permanece eternamente” [1 Pedro 1.25]. Nada, absolutamente nada, pode abalar a estabilidade da Palavra de Deus, pois Ela está firmada no céu! O salmista reconhece esta realidade, e, movido pelo Espírito divino, faz a solene oração contida neste versículo, onde declara, a plenos pulmões, o caráter duradouro e estável da Palavra de Deus! Feliz é aquele que Nela se refugia!
A. M. Cunha

terça-feira, 2 de maio de 2017

DÉCIMA PRIMEIRA SEÇÃO – SALMO 119:88

Salmo 119:88 – “Vivifica-me, segundo a tua misericórdia, e guardarei os testemunhos oriundos de tua boca.” De forma reiterada e persistente o salmista, ao longo do Salmo 119, clama por vivificação, como se pode ver nos versículos 25, 37, 40, 50, 107, 149, 154, 156 e 159. Nestes versículos, o salmista suplica por vivificação invocando a Palavra, o Caminho, a justiça, os juízos, a promessa e a bondade do Senhor. Agora, no versículo 88, sua súplica por vivificação invoca a misericórdia do Senhor. De acordo com o profeta Jeremias, “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim.” [Lamentações de Jeremias 3.22]. Se observarmos atentamente este versículo, perceberemos que o salmista reconhece que a vivificação é uma força que o capacita a guardar os testemunhos do Senhor! É como se o salmista dissesse: Senhor, somente poderei guardar os Teus mandamentos se eu for vivificado por Ti!
A. M. Cunha

quinta-feira, 20 de abril de 2017

DÉCIMA PRIMEIRA SEÇÃO – SALMO 119:87

Salmo 119:87 – “Quase deram cabo de mim, na terra; mas eu não deixo os teus preceitos.” Este versículo transmite a ideia de que o salmista quase foi destruído pela perseguição que o alcançou. Isto pode ser constatado pela expressão “Quase deram cabo de mim”. No entanto, a perseguição não foi o único tema abordado por neste versículo, pois ele declara que o salmista, apesar da gravidade da perseguição que suportou, não abandonou a Palavra de Deus! Que gloriosa revelação, pois o salmista manteve-se fiel aos mandamentos divinos apesar de ter sido cruelmente perseguido.
A. M. Cunha

sábado, 1 de abril de 2017

DÉCIMA PRIMEIRA SEÇÃO – SALMO 119:86

Salmo 119:86 – “São verdadeiros todos os teus mandamentos; eles me perseguem injustamente; ajuda-me.” O salmista clama pela ajuda do altíssimo, pois os soberbos o estavam perseguindo injustamente. O vocábulo "eles" refere-se aos soberbos mencionados no versículo 85. O salmista, embora estivesse enfrentado uma injusta perseguição, preferiu declarar que todos os Mandamentos do Senhor são verdadeiros, em vez de culpar Deus pelo infortúnio que enfrentava. Agindo assim, ele não murmurou contra o seu Deus como muitos o fazem nessas ocasiões, ao contrário, ele enveredou-se pelo caminho das Escrituras, concluindo que todos os mandamentos Nela contidos são verdadeiros. Seus lábios não proferem murmuração, mas uma oração, ainda que em breves palavras: “Ajuda-me”!
A. M. Cunha

sexta-feira, 31 de março de 2017

DÉCIMA PRIMEIRA SEÇÃO – SALMO 119:85

Salmo 119:85 – “Para mim abriram covas os soberbos, que não andam consoante a tua lei.” O salmista afirma que os soberbos não andam em obediência aos mandamentos divinos, pois não consideram a Palavra de Deus como diretriz para sua vida e suas atitudes. Assim, eles andam conforme bem entendem, mesmo que para isso tenham que descumprir os mandamentos do Senhor. O desejo de ver o próximo tropeçar e ser destruído em seus caminhos é aqui apresentado como algo que os soberbos praticam. O salmista, porém, atento ao que acontecia a sua volta, prontamente percebeu que eles abriram covas para destruí-lo. E o que ele fez? Ele fez o que todo servo de Deus deve fazer nessas ocasiões: Apresentou esta situação ao Senhor, em oração!
A. M. Cunha